Blogue Patrocinado Por

Blogue Patrocinado Por

quinta-feira, 31 de março de 2016

Pão de Soro...

O nome poderia ser outro, Pão de Forma por exemplo, mas este pareceu-me o mais adequado dar-lhe o nome de um dos ingredientes utilizados até porque a forma com que o fazemos pode ser variada: de Forma, em carcacinhas, arredondado...etc.
Ora bem, sempre que faço Queijo Fresco o soro nunca é desperdiçado, é sempre reaproveitado para enriquecer molhos ou um delicioso Pão.
Estou a escrever e o cheiro ainda perfuma toda a casa, garanto que quem o faz em casa, sabe do que falo! Adoro!
O Queijo foi feito ontem à noite, durante esta libertou o soro e hoje já foi aproveitado para o pão e o queijo já fez parte do pequeno almoço.





Ingredientes:
420g de farinha T55
6gr de fermento seco Fermipan
15g azeite
1c. café de Sal
240ml de soro do queijo OU água
Preparação:
1. Colocar no copo da Bimby, o soro OU a água, o sal, o azeite e o fermento.
Programar 2Min./37º/Vel.2
Adicionar a farinha. 2Min./Vel. Espiga




 2. Numa forma retangular, forrar com papel vegetal ou uma folha própria para assar no forno (comprei na loja Casa e é reutilizável)
Sem amassar colocar a massa diretamente na forma e calcar esta de forma a que preencha toda a forma.
Fazer uns cortes na massa e deixar levedar até que dobre de volume, sempre tapado com um pano de algodão.


3. Levar ao forno a 180º até estar cozido (cerca de 30Min.)




4. Retirar de imediato da forma e deixar arrefecer cerca de 10Min. para que a temperatura estabilize.
Cortar em fatias e degustar.






quinta-feira, 24 de março de 2016

Folar à moda da Guarda...

Mais um  Folar, também conhecido por Bolo de Azeite, este é uma especialidade da região da Guarda e claro também tem presença obrigatória nas mesas das famílias egitanienses, por altura da Páscoa. Nesta época do ano os padrinhos oferecem-no aos afilhados juntamente com as tradicionais amêndoas de açúcar ou de chocolate. Uma tradição muito similar à da minha terra, até porque apenas estamos a uma distância de 70Km, mais Km, menos Km.
Na sua composição entra o azeite, daí o seu nome, os ovos, a farinha, o fermento de padeiro e sal. Nada de açúcares!
Fazer estes Folares, faz com que venham à minha memória recordações da minha infância em que a minha avó amassava estes Folares na antiga maceira de pão...que eu guardo na minha casa!
Depois de muito bem amassado, lá saía a oração da bênção:

S. Vicente te acrescente… S. Mamede te levede S. João te faça pão… E Deus Nosso Senhor te deite Sua divina benção O Senhor te acrescente E te queira acrescentar Para comer e mais para dar… Em nome do Pai, do Filho E do Espírito Santo, Amén.

Uma vez cozido recomendo que este delicioso bolo, muito apreciado pela sua textura fofa, seja acompanhado de requeijão de ovelha, queijo da Serra da Estrela amanteigado ou simplesmente com manteiga pura.
Eu gosto especialmente de o acompanhar com Geleia de Marmelo.
A minha irmã com Compota de Morango.
Uma das minhas filhas com Doce de Abóbora, a outra com Marmelada.
Os meus pais com queijo e o meu marido, Simples. :D 





Ingredientes:
Para o isco de levedura:
80g farinha T55
1/2 copo medida de água quente
25g de fermento fresco de padeiro
Para a massa:
500g de farinha T55
5 ovos, caseiros para que fique bem amarelinho (temperatura ambiente)
100g azeite
3c. café de sal
10 a 15ml de aguardente
Preparação:
1. Deitar no copo a farinha para o isco de levedura, o fermento e água quente.
Programar 2Min./50º/Vel.2
Deixar dentro do copo durante 30Min. ou até dobrar de volume.


2.  Adicionar a farinha, a aguardente, o azeite e os ovos.
Programar 5Min./Vel. Espiga


3. Retirar para um recipiente e deixar levedar.


4. Depois de levedado,  cortar a massa em duas partes (podem também fazer só um e fica um grande), depois estender ligeiramente a massa para que a possamos dobrar ao meio. Deitar um fio de azeite sobre a massa e esfregar para que a massa fique untada.

Em seguida, juntar as duas pontas como se fechasse um livro, deitar mais um fio de azeite na parte que vai ficar para cima e espalhe sobre toda a superfície do mesmo.


5.  Colocar num tabuleiro polvilhado com farinha e tapado com um pano de algodão e deixa-se levedar cerca de 1H. A massa deve duplicar de volume.
Aquecer o forno a 200ºC/ 25 a 35Min., conforme o tamanho.





NOTA: Os meus Folares foram cozidos em forno de lenha, se não tiverem forno a lenha o uso de forno normal poderá alterar um pouco o aspeto final, mas o sabor será idêntico.

Boa Páscoa!

terça-feira, 22 de março de 2016

Mini Folar Doce...

São tantos os textos acerca da tradição do Folar da Páscoa que nem sei bem em qual acreditar.
Talvez todos eles sejam verdadeiros...bem, mas este Folar Doce, reza a história que vem de uma lenda antiga sobre uma moça que queria casar.
Para tornar o seu sonho realidade pediu um pretendente a Santa Catarina, sua Madrinha. Esta ter-lhe-á concedido dois e no desentendimento entre os dois devido à escolha da moça, Santa Catarina terá oferecido a cada um dos três, um bolo com ovos por cima e flores, em sinal de reconciliação e amizade.
Consequentemente, terão dado o nome de «folore» ao bolo, que se transformaria em Folar, anos mais tarde.
Assim, com o passar dos anos, pela Páscoa, os afilhados oferecem flores às Madrinhas (o Ramo benzido no Domingo de Ramos) e estas retribuem o gesto com os Folares.
Como já vos disse, eu mantenho a tradição, porque adoro os Folares.
Este ano e com a ajuda das minhas filhas, fizemos Folares Doces, pois a canela e erva-doce são aromas "obrigatórios" na época pascal! Pelo menos, na nossa... ;)


Ingredientes:
300ml leite
20g fermento fresco de padeiro ou 1 saqueta de 11g de Fermipan
40g manteiga
2 ovos
100g açúcar
700g farinha T55
1/2c. chá de sal
1c. chá de Erva-Doce
Azeite para pincelar OU gemas
Ovos tingidos para decorar
Açúcar em pó para polvilhar
Preparação:
1. Colocar no copo o leite, o fermento, a manteiga e aquecer 2Min./37º/Vel.2
2. Adicionar os ovos, a erva-doce e o açúcar. Misturar 30Seg.Vel.6


3. Adicionar a farinha e o sal. Amassar 3Min./Vel.Espiga


4. Retirar a massa para um recipiente grande e deixar levedar até dobrar de volume.


5. Retirar a massa para uma superfície polvilhada com farinha e formar um rolo, o qual vamos dividir em 8 partes iguais, para que no final obtenhamos 4 Mini Folares.


6. Com cada parte, formar rolos com cerca de 30cm cada.
Fixar a ponta de dois rolinhos e entrelaçar, unindo no final as extremidades e dando-lhe a forma circular.
As minhas filhas adoraram fazer esta tarefa.


7. Colocar num tabuleiro que irá ao forno com papel vegetal.
No centro de cada um, colocar um ovo tingido e deixar levedar novamente.
8. Depois de levedado e antes de ir ao forno pincelar com azeite ou com gemas.
Levar ao forno a 180º/25Min. ou até dourar.


9. Retirar do forno, deixar arrefecer e polvilhar com açúcar em pó.








Água, um presente da natureza...

Celebra-se, hoje, o Dia Mundial da Água, uma data que visa alertar as populações para a urgente necessidade de preservação e poupança deste recurso natural tão valioso.
A gestão dos recursos de água tem impacto em vários setores, nomeadamente na saúde, produção de alimentos, energia, abastecimento doméstico e sanitário, indústria e sustentabilidade ambiental.
As alterações climáticas provocam graves impactos nos recursos de água.
As alterações atmosféricas como tempestades, períodos de seca, chuva e frio afetam a quantidade de água disponível e colocam em risco os ecossistemas que asseguram a qualidade da água.
Portanto, se a Água é um presente da Natureza, temos a obrigação de  implementar medidas com vista à poupança deste recurso, promovendo a sua sustentabilidade.

Assim, pareceu-me oportuno partilhar convosco uma bebida que faz parte dos meus hábitos matinais (nem sempre, mas quase sempre!). 
Esta bebida que deve ser tomada logo pela manhã e ainda com o estômago vazio, é feita com o pequeno e azedinho limão que é rico em propriedades benéficas à saúde, como por exemplo a riqueza em antioxidantes, vitaminas e a capacidade de proteger o sistema imunológico. Além disso, ainda é uma fruta que emagrece por conter substâncias que ajudam na eliminação daquelas gordurinhas.

Ingredientes:
1 limão (laminar metade + sumo da restante metade)
Gengibre (em rodelas ou ralado)
Água morna
Hortelã fresca
Preparação:
1. Deitar num copo com capacidade de 200ml água morna. Reservar.
2. Com a Mandolina V3 Borner, laminar em fatias grossas um pequeno Limão.
Reservar.


3. Fazer o mesmo procedimento com o Gengibre, laminando apenas 2 rodelas.
Se preferirem um sabor mais intenso, devem ralar.


4. Colocar as rodelas de Limão e do Gengibre no copo de água morna, espremer o sumo do 1/2 Limão reservado e adicionar folhas de hortelã fresca.
Deixar repousar cerca de 5Min./10Min. e está pronto a consumir.




Dica: Podem fazer esta mesma receita com água gelada, mas neste caso devem fazer no dia anterior, à noite para beberem na manhã seguinte. 
Poderão, neste caso, adicionar rodelas de pepino e maçã verde. 
Consumo ideal para o tempo mais quente.
NOTA: Quer o limão, quer o gengibre, sejam eles consumidos juntos ou separados, podem ajudar a melhorar nosso peso. Obviamente, que as dietas milagrosas não existem.
Todas elas requerem esforço individual.

É preciso manter um equilíbrio e estes dois ingredientes são complementos ideais, que ao serem tomados da forma correta podem ser de grande ajuda.





segunda-feira, 21 de março de 2016

Os ovos tingidos e a tradição da Páscoa!

Os ovos estão associados à doçaria tradicional da Páscoa (e não só!) e são o símbolo da fecundidade e da abundância que representa a homenagem à nidificação, verificada nesta época do ano, sem deixar de personificar o começo da vida: a casca representa a Terra, enquanto que a parte interior, o ar. Por sua vez, a clara representa a água e a gema, o fogo.  
Num sentido mais religioso, os ovos poderão estar relacionados com «Cristo que venceu a Morte saindo do túmulo». 

Estes, foram proibidos no séc. IV pela Igreja Católica durante a Quaresma, proibição esta que se manteve ao longo da Idade Média.
Eram benzidos pelos papas na Sexta-Feira de Paixão e vendidos no Sábado Santo.
Segundo a tradição, esta proibição terá levado as pessoas a não saber o que fazer com eles, até que alguém teve a feliz ideia de os utilizar na confeção de bolos destinados a serem oferecidos às crianças na quadra pascal pelas suas madrinhas. Assim, nasce o Folar de Ovos coloridos...

Ontem, foi dia de Ramos e é tradição na minha terra as Madrinhas darem o Folar ás suas afilhadas(os) em troca do ramo benzido.
A minha afilhada Camila cumpriu a tradição e eu também fiz a minha parte.
Mas como se tingem os ovos para o Folar? Fácil, fácil!


Ingredientes:
4 Ovos
Vinagre de vinho branco
Água
Corantes alimentares de várias cores (usei vermelho, rosa, verde e azul)
Preparação:
1. Colocar no copo 500ml de água, inserir o cesto com os ovos.
Programar 15Min./Varoma/Vel.2
2. Retirar do cesto e passar os ovos já cozidos por água fria.
Reservar.


3. Em pequenos recipientes, colocar água até meio da sua capacidade.
Adicionar 2c. sopa de vinho branco em cada e 1c. de café de corante alimentar.



Misturar bem e colocar cada ovo na respetiva cor. Deixar repousar 10-15Min. para que possam tingir e adquirir a cor pretendida.


4. Retirar e reservar numa grelha para que possam secar.
Depois de secos, estão prontos a serem usados nos...Folares ;)
 

Eu disse que era fácil! ;)



sexta-feira, 18 de março de 2016

Pastel Maçãnata...

Começo este texto por afirmar que este é um pastel reinventado: viciante, equilibrado, com massa folhada crocante e com a textura dos bocadinhos de maçã a elevarem a experiência da degustação a outro nível!
Cá na minha terra, é por altura da grande festa da Maçã, em Setembro, que este pastel desfila, apesar de a sua existência já contar com alguns anos. É pelas vitrines da minha pastelaria de eleição: a Pastelaria Martins, da qual sou cliente assídua que ele marca presença.
Para mim, esta é a melhor pastelaria de Moimenta da Beira, não só pelos seus produtos, mas também pelo serviço de excelência num ambiente familiar que eu adoro!
Certo é que o sucesso destes pastéis foi tal, que agora, partilhando o mesmo tabuleiro dos tradicionais Pastéis de Nata, a Maçãnata está diariamente nas vitrines para quem quiser provar.
Chegar à receita original, como se sabe...é um caso dos trabalhos: "Ahhhh é segredo e tal..."
Ok...eu já trato disso!
Compram-se uns exemplares, prova-se e experimenta-se para chegarmos à receita...foi o que fiz e cá está a minha receita Maçãnata. ;)


Ingredientes:
1 base de massa folhada
Açúcar em pó e Canela em pó para polvilhar

Para o creme de nata usei (metade da dose, mas mantive o tempo de confeção) da minha receita de Pastéis de nata, sem natas!
 Para o creme de maçã:
4 maçãs (variedade a gosto) usei Golden
canela em pó
açúcar qb.
Podem usar também:
Preparação:
1. Numa frigideira anti-aderente deitar o açúcar com um pouco de água e deixar derreter.
Adicionar a maçã partida em pequeninos cubos e deixar cozinhar cerca de 5Min. em lume brando.Quando notarem que já não está crua, adicionem um pouco de canela em pó e envolvam.
Cozinhar até que o açúcar fique em ponto quase caramelo.
Reservar.
2. Com um cortador de bolachas cortar círculos e forrar as formas dos pastéis.


3. Deitar no fundo de cada forma uma colher de sobremesa do preparado de maçã, seguido do creme de nata sem nata.


 4. Levar ao forno a 200º até a massa estar cozida.


 5. Servir mornos ou frios polvilhados com canela e açúcar em pó.