Blogue Patrocinado Por

Blogue Patrocinado Por

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Charlotte de Morangos...

Para ti, mana...
Não me recordo do dia em que nasceste, Nélinha...
Mas, conta a nossa mãe que não te liguei nenhuma, corri para ela e ignorei-te por completo, tive ciúmes, queria roubar-te a chupeta, o colo dela que tinha sido só meu e que agora partilhávamos… queria morder-te o pé enquanto ela te mudava a fralda! E que isso representava um perigo eminente, já que eu tinha apenas dois anos… Mas, ainda que ela fale a verdade, tu sabes que essa seria a minha forma inocente de cuidar de ti, é claro que muitas vezes essa vontade já se transformou em vontade de te “exterminar”… principalmente, aquelas em que não me fazias a vontade!
Pronto, confesso que na nossa infância pensei : “Eu preferia ser filha única!”
Mas em nada correspondia à realidade, claro.
Simplesmente, porque não existe vida sem ti!
Ser filha única deve lá ter as suas vantagens, mas ganhar uma irmã para compartilhar a vida tem muitas mais: ganha-se uma amiga, uma advogada de defesa, uma companheira para qualquer tipo de situação e, no meu caso, uma tia e madrinha, outra mãe para as minhas filhas…sempre presente e sempre pronta a desafiar-me.
És aquela pessoa que guarda e partilha tanto da minha e da nossa história.
Sendo tão pouca a diferença de idades, apenas 22 meses, conheces todos os capítulos da minha biografia e fazes parte deles.
É verdade que uma mãe conhece os seus filhos, mas uma irmã conhece ainda mais.
Afinal, desde a infância que somos cúmplices, companheiras, ouvintes, amigas, comadres e madrinhas…
Eu e tu, nós, somos completamente diferentes uma da outra: uma loira de olhos verdes, outra morena de olhos castanhos (eu muito mais gira ), personalidades distintas, mas muito amor em comum.
Somos como a água e o vinho ou o azeite e o vinagre.
Tão diferentes que às vezes me pergunto: “ Como é que é possível!”, mas só assim equilibramos a nossa balança.
É entre o amor de irmãs que também aprendemos a partilhar e hoje…a festejar, celebrar mais um ano da tua vida.
Minha Nélinha dos cabelos dourados com alguns flocos de neve e olhos verdes…
Minha mana, sempre pequenina aos meus olhos…mais um aniversário, mais um 23… e somas já um perfeito 39!
Adoro-te e desejo que sejas sempre muito, imensamente feliz!
Parabéns, para ti!    


Ingredientes:
1 Torta com recheio de morango (comprei!) podem substituir por Palitos La Reine 500g de morangos
3 claras de ovo
6 folhas de gelatina incolor 200ml de natas 1c. sopa de sumo de limão 100g Açúcar
Decoração: Morangos inteiros e chocolate de leite derretido
Preparação:
Recheio:
1. Coloque as natas no congelador 30Min. antes de as usar.

2. Lavar muito bem os morangos, colocá-los no copo da Bimby juntamente com 100g de açúcar e 1c. de sopa de sumo de limão.
Programar 15Min./100º/Vel.1


3. Colocar as folhas de gelatina de molho em água fria por 10Min.
Escorra-as muito bem, junte-lhes 3c. de sopa água quente e levar ao microondas alguns seg. para que se dissolvam.

Numa taça, juntar com os morangos já transformados no Coulis e misturar bem, usando uma vara de arames.
Reservar.

4. Bater as natas até estarem bem firmes, proceder de igual forma para as claras.

Envolver, suavemente, as natas com as claras, até obter uma mistura homogénea.
5. A este preparado adicionar o Coulis de Morangos, envolver.
Reservar.
6. Forrar, com película aderente, uma forma ou uma taça redonda.
Cortar em fatias a Torta, forrar com estas a taça, de modo a que fiquem bem encostados uns aos outros e no topo com a mesma altura.



Deitar todo o creme na forma e levar ao frigorífico por 4H, para solidificar ou 2h ao congelador. 

7. Na altura de servir, desenformar a Charlotte para um prato e com cuidado retirar a película aderente.
Decorar a gosto: usei chocolate de leite derretido, apenas 5 quadrados e 3 morangos.
Servir.
 



6 comentários:

  1. Está lindíssimo.e deve estar divinal.beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Oh, tão bonito! Sabes, eu sou filha única e nunca gostei! Quer dizer, não é não gostar porque na verdade nunca conheci outra realidade, mas era aquela pena de não ter um irmão/ã com quem brincar! Sempre disse que os meus filhos não haveriam de ser filhos únicos e que haveriam de ser todos próximos! O meu marido, também filho único, partilhava da mesma opinião! Hoje olho para eles, sempre à turras e penso, bolas, se calhar não sei a sorte que tive por ser filha única! Mas depois penso que mais sortuda teria sido por ter um irmão/ã que fosse tudo isso que tu disseste! A charlotte ficou linda! Não me digas que os sapatinhos eram da tua irmã?! Que coisa mais fofa! Adoro roupinha e acessórios de bebé! Muitos parabéns à tua mana! beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os sapatinhos foram os meus primeiros, do batizado :) e sim, depois foram dela e guardo-os como uma preciosidade.
      Obrigada querida
      Beijinhos também para ti

      Eliminar
  3. Eu e a minha irmã também andávamos sempre ás turras,faz parte! A charlotte está bem gira! Beijinhos

    ResponderEliminar