Blogue Patrocinado Por

Blogue Patrocinado Por

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Pão sem Glúten...porque existem vidas sem Glúten!

Ter que fazer uma alimentação sem glúten diariamente é para muitos uma tarefa difícil.
Surgem muitas dúvidas, existem dificuldades, mas todos os que precisam manter este tipo de alimentação querem de facto continuar a ter prazer na sua alimentação.
Mas... para quem não sabe...
O que é o glúten?
O glúten é um composto de proteínas encontrado no trigo e nos grãos como a cevada e o centeio.
Está presente numa grande variedade de produtos alimentares, sendo que uma das razões é oferecer uma série de propriedades funcionais.
Uma alimentação sem glúten significa ter uma alimentação sem a presença da proteína glúten, o que significa evitar alimentos como pão e massa, que por norma o têm. Este tipo de dieta costuma ser adotada por pessoas que têm dificuldades ou completa intolerância em digerir o dito cujo.
O trigo é um ingrediente tão comum na alimentação ocidental, que o torna bastante difícil de retirar da dieta, mas não é impossível.
Depois de ter publicado a receita dos deliciosos Croissants de Alfarroba Integrais a seguidora do meu Blog, Rita Silva entrou em contacto comigo para que eu lhe indicasse uma receita sem glúten, não demorei muito a dar-lhe as minhas dicas, pois ter um Blog é para mim ter a oportunidade de ajudar quem precisa e quem me pede ajuda, partilhar receitas para que outros possam usufruir delas.
Trocamos mensagens e numa delas aproveitei e lancei-lhe um desafio:
"Vamos testar uma receita nova em conjunto?", decidimos alguns ingredientes, a certa altura decidi trocar um dos ingredientes...por este:


e é claro que a Rita aceitou, passei-lhe a receita e ambas decidimos testar... mas quando a Rita ia testar deparou-se com uma dúvida acerca do fermento e mostrou-me aquele que ia usar. Não era o adequado, pois para fazer Pão temos que usar o fermento/levedura próprio para Pão e a Rita tinha apenas um para bolos.
A execução do pão dela ficou adiada, mas a minha foi já feita e testada e provada e está APROVADA!
O resultado foi este e assim uma nova receita nasce, porque também existem vidas sem Glúten!
Para si, Rita...


Ingredientes:
300g Flocos de Aveia Integrais OU farinha de Aveia sem glúten
200g Trigo Sarraceno em grão
100g Fécula de batata
20g sementes (usei Linhaça dourada e Girassol)
1c. sopa de açúcar mascavado
1c. chá de Flor de Sal, Salinas Corredor do Sol
7gr de fermento FERMIPAN (não contém glúten)
450ml água
Preparação:
1. No copo deitar os flocos de Aveia e pulverizar 1Min./Vel.9
Reservar.


2. Deitar o trigo sarraceno e as sementes e pulverizar 1Min./Vel.9
Reservar.


3. No copo deitar a água, o fermento, açúcar e sal.
Programar 2Min./37º/Vel.2
4. Adicionar as farinhas e programar 2Min./Vel.Espiga.


Numa superfície polvilhada com farinha (usei um pouco de fécula de batata), verter o preparado.
Este preparado é mais mole do que um pão normal, assim irão necessitar da ajuda da espátula para libertar o mesmo do copo.


5. Moldar o preparado dando-lhe a forma de um rolo, mas sem amassar muito, nem adicionar mais farinha.


6. Colocar dentro da forma, utilizei uma retangular, fazer uns cortes superficiais e deixar levedar até que dobre de volume (a minha demorou 2H), coloquei a forma dentro do forno, tapada com um pano de algodão, com a porta fechada e DESLIGADO, claro! ;)


7. Depois de levedado, ligar o forno a 200º com a opção ventilado, se tiverem durante 40Min.
8. Retirar do forno, deixar a temperatura estabilizar durante 10Min. Desenformar e deixar arrefecer na totalidade antes de consumir.
Isto se...conseguirem ;)




Dicas para fazer Pão:
1. Usar ingredientes à temperatura ambiente: o fermento gosta de um ambiente quente e o pão vai crescer mais rapidamente quando os ingredientes estão à temperatura ambiente, em vez de frios. Usar ingredientes refrigerados vai atrasar significativamente a capacidade das leveduras para fermentar o pão.
2. Usar farinhas sem glúten ricas em proteínas: um teor alto de proteínas nas farinhas, adiciona estrutura e sabor ao pão.
Sugiro: sorgo, milho-painço, amaranto, teff, farinha de aveia sem glúten e trigo-sarraceno, todas contêm mais proteína do que a farinha de arroz.
3. Podem incluir ovos: estes são impulsionadores naturais e ajudam a impulsionar o crescimento e volume do pão.
Os ovos também adicionam sabor, humidade e proteína às receitas sem glúten.
4. Usar azeite na confeção de pão sem glúten: o azeite é um óleo de cozinha saudável que acrescenta um sabor maravilhoso aos pães.
Outros benefícios do azeite consistem em criar uma maior humidade, melhor textura e maior prazo de validade do pão.

5. Usem sementes: as sementes de linhaça e chia têm poder aglutinante, retendo a água e formando um gel que permite (dependendo das quantidades utilizadas) trabalhar a massa do pão como se contivesse glúten. Para além disso, são também uma valiosa fonte de fibras e permitem aumentar o valor nutricional do pão sem glúten.
6.  As farinhas sem glúten precisam de mais líquido do que as farinhas de trigo para produzir bons resultados: se quiserem converter uma receita de pão tradicional para sem glúten, vão precisar de adicionar mais líquido do que a receita pede.
Ex: Se a receita de um pão tradicional com glúten pedir, para a sua execução 700g de farinha na totalidade e 300ml de água, para a mesma quantidade mas para farinhas sem glúten, a água deverá ser aumentada para 550ml.


2 comentários:

  1. Sabes, não sei o que seria de mim se tivesse de ter uma alimentação sem glúten. Eu sei que é tudo uma questão de hábito, mas eu adoro pão, massas e tudo o que leva trigo. Em Janeiro receei ter ganho intolerância ao glúten. Sempre que comia pão branco, brioche ou algo do género, sentia-me inchada e ficava assim dois ou três dias. Embora o consumo de farinhas refinadas tenha reduzido significativamente cá em casa desde que comecei a minha dieta, comecei a pensar se agora tivesse que deixar de comer tudo aquilo que faz parte da nossa gastronomia! É que a base da nossa doçaria é a farinha de trigo! Mas como passei todo o mês de Janeiro doente, acho que teve a ver com isso. Felizmente já voltei a comer várias coisas com farinha de trigo e não senti que me fizesse mal. No entanto gosto de receitas alternativas e gosto de fazer receitas sem glúten de vez em quando por isso é claro como água que vou levar a receita deste pão para fazer. Tem mesmo bom aspeto! Acho que não tenho trigo sarraceno suficiente mas se for preciso faço metade da receita! Rende menos mas não faz mal, até se calhar é melhor pois não posso ver pão quente! Só me apetece devorá-lo todo com a minha manteiga Açoriana! Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De facto, tens toda a razão...ai de mim se também tivesse que deixar de consumir farinha de trigo. Lá teria que me adaptar, que remédio! Mas ia ser difícil, confesso. Espero que esteja tudo bem contigo.
      Beijoquinhas

      Eliminar